terça-feira, março 31, 2009

Cada vez mais, está a ficar, quentinho

Forças de segurança manifestam-se hoje em Lisboa

Militares da GNR manifestam-se hoje em Lisboa contra "a degradação" das condições de serviço e o "não cumprimento" de promessas do Governo, como negociação do estatuto profissional, num protesto liderado...

Teixeira dos Santos alerta para "tensões" e "problemas sociais graves" decorrentes do desemprego

Não é só nas zonas, ditas, rurais

Número de utentes sem médico de família em Lisboa duplicou entre 2004 e 2007

O número de utentes sem médico de família em Lisboa duplicou entre 2004 e 2007 e ultrapassou as 100 mil pessoas, segundo a Carta de Equipamentos de Saúde, que será analisada amanhã na reunião de câmara.

Como diria o outro: eu não acredito nelas, pero ...

... que las hay, las hay!

Freeport: assaltado escritório da advogada de Zeferino Boal

Foi você que ... desafiou?!

Buuuu

Santos Silva desafia presidente do SMMP a esclarecer pressões sobre magistrados

O ministro dos Assuntos Parlamentares, Augusto Santos Silva, quer que o presidente do Sindicato de Magistrados do Ministério Público (SMMP), João Palma esclareça publicamente as “pressões” sobre magistrados a que se referiu quando foi eleito, no passado sábado. Santos Silva considera “gravíssimas” as declarações de João Palma e afirma que estas “não podem ficar sem consequência”.
A consequência é de um dia destes, mais cedo ou mais tarde, ires parar à grelha.

Passou o compositor Maurice Jarre

Ministério público quer falar com Cavaco sobre pressões

Pressões sobre magistrados levam sindicato a pedir audiência urgente ao Presidente da República
O novo presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, João Palma, vai pedir uma audiência de urgência ao presidente da República Cavaco Silva. Nos últimos dias João Palma tem vindo a denunciar pressões sobre os magistrados, alegadamente relacionadas com o caso Freeport e que visam, segundo revelou o "Correio da Manhã" levar ao arquivamento do processo
____________
Pergunta do jornal Expresso - É o excesso de garantias que está na origem do aumento da criminalidade?

João Palma: Presidente do Sindicato do MP- O Código não é um instrumento para a defesa da comunidade, mas um manual de defesa dos interesses dos delinquentes.
Não podia concordar mais.

Conselho Superior do BCP vai ser extinto

Assembleia Geral do BCP
A Assembleia Geral dos accionistas do BCP decidiu por 85,46% dos votos extinguir o conselho superior contra 14,54% dos votos. Joe Berardo já tinha defendido à entrada da Assembleia Geral o fim do conselho ...
(Prof. Caramba sabe tudo ...)

Remunerações vão ser revistas

sábado, março 28, 2009

O Tempo

Hoje muda a hora; passamos a utilizar o horário de Verão, pelo que, os relógios serão adiantados 1 hora.

Às 01:00, passará a mostrar 02:00.

Teremos mais tempo de luz; um dia maior, portanto!

Buuuuuuuuu

José Sócrates vaiado na ópera

O espectáculo Crioulo, uma ópera cabo-verdiana, com direcção artística de António Tavares, começou ontem à noite com meia hora de atraso no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém. Com a sala esgotada, o primeiro-ministro José Sócrates e os seus convidados, que se sentaram no camarote VIP do CCB, entraram na sala às 21h30. O primeiro-ministro foi vaiado ao chegar à sala.

"Utilizam-se armas para roubar 20 euros"

O secretário-geral do Sistema de Segurança Interna não tem dúvida de que a reorganização territorial das polícias, que o Governo executou, contribuiu para o aumento do crime. Considera que há um novo perfil...

Areia nos olhos pela AI

Quando os números falam mais alto, vejam-se os números das estatísticas do aumento da criminalidade, e em particular da criminalidade violenta, e de maior gravidade ainda, a gratuita - aquela que apenas pretende destruir sem tirar qualquer proveito material, aparente ou não.

Temos pois que, quando os números falam mais alto, o (des)Governo prepara uns números interessantes de circo para entreter o pagode!!

Este é um desses casos:

Operação Nacional
PSP detém mais de 300 pessoas em mega-operação
Mais de 300 pessoas foram detidas esta madrugada no decorrer de uma mega-operação policial da PSP, que terminou ao final da manhã.
Ora, se as forças da autoridade actuassem de acordo com a Lei e as funções que lhes incumbem, não necessitavam de fazer estas tristes figuras para as câmeras fotográficas e de televisão; não seria necessária esta propaganda vergonhosa para encher o olho à maralha, em jeito de: estão a ver, quando queremos sabemos fazer!!

Oh sr ministro da Adm. Interna, Vossa Excelência, que foi o presidente da comissão que fez a revisão/reforma do Código Penal e de Processo Penal (uma vergonha de revisão/reforma) está agora a colher os frutos envenenados do trabalho mal enjorcado daquilo que fez (ou antes, desfez).

Para quando o reforço de efectivos nas forças de segurança?
Para quando a colocação na rua, na propriamente dita, com os agentes a percorrerem as ruas a pé?
Mais e melhores condições de trabalho para os agentes da autoridade?
Para quando a actuação concreta, real e diária dos agentes da autoridade?

Andam a brincar com o Povo ...

sexta-feira, março 27, 2009

Manela 24

O Jornal da Noite apresentado por Manuela Moura Guedes tem outro interesse!

É uma verdadeira força para tirar máscaras a Pinto de Sousa e ao (des)Governo que impera em Portugal. Bravo!
Não se incomode com as campanhas de ministros para lamentar, ou de quaisquer caniches amestrados e a soldo do poder que está - um poder ABSOLUTAMENTE TRANSITÓRIO, cedo ou tarde todas as máscaras que têm lhes irão cair, e o poder ser-lhes-à tirado debaixo dos pés por quem tem o voto.

Uma das notícias foi a do comunicado à imprensa de Pinto de Sousa, em que refere, tradução livre minha, que Charles Smith é um aldrabão e que ele, Pinto de Sousa, não é corrupto, como o pseudo corruptor - Charles Smith, referiu num DVD que se encontra no processo de investigação do Freeport.

Ora, Pinto de Sousa informa, que já deu instruções aos seus advogados para apresentarem queixa crime por difamação e injúrias.

Tal significa que imperará o ónus da prova, ou seja, terá de ser Charles Smith a provar que, de facto, Pinto de Sousa é corrupto como afirmou e que recebeu XXXX euros por serviços prestados ...

Vejamos:

Ou Charles Smith apresenta provas, ou as provas, daquilo que refere, provando ser verdade, ou então está bem tramado!!

Já a Pinto de Sousa pode sair o tiro pela culatra, i.e., Charles Smith se tiver provas que comprovem as alegações ... a judiciária não terá mais que se preocupar com indícios fortes!!

Ide para alcaides de Ayuntamientos, ide …

Excelente

Censura?

Pinto de Abreu diz que foi alvo de «censura»

Eu que não morro de amores pela pessoa, a ser verdade que existiu censura, é uma questão muito grave.

Censura, nunca.

Tendo eu sido já alvo de censura, não é coisa que me agrade; nem pouco mais ou menos!
Como não gosto para mim, considero que as outras pessoas têm direito à livre expressão tanto quanto eu.

Há uns anos atrás, escrevi uns artigos de opinião para um semanário já extinto.
O editor do mesmo, contactou-me dizendo que uma determinada personagem, da vida intelectualóide, tinha-o contactado referindo-lhe do agasto que tinha sentido com o meu artigo, e que o mesmo não ilustrava, leia-se enobrecia, o dito pensamento liberal, pelo que ele, editor, devia de abster-se de publicar mais artigos meus para não prejudicar a reputação e/ou credibilidade da tal publicação!!!!

Imaginem qual foi a minha resposta?
Pois ... deve ser isso que estão a pensar.

É inademissível que se coarta a liberdade de pensamento e expressão; a diversidade enriquece, a unicidade normaliza, e reduz à insignificância uma ideia, um ideal, pessoas e povos.

Bem ...

... o exagero pode matar o artista, não é verdade?

O burlesco Bastonário da OA, desta, vai ter mau tempo no canal!

Conselho Superior da OA admite analisar artigo do bastonário

Tenho a mesma opinião - Rogério Alves vê artigo como "defesa" de Sócrates

Moral da história:

O Código Deontológico dos Adv., é apenas uma miragem.
Não pode Brutus exigir de outros, aquilo que ele próprio não é capaz de respeitar.

Ontem ...

... os agricultores alentejanos rumaram a Lisboa para protestar contra o estado calamitoso da agricultura, em particular, no Alentejo.

Ora, como se sabe, a UE tudo fez para acabar com a agricultura e as pescas em Portugal.
Comprou os sucessivos Governos portugueses para erradicarem essa moléstica portuguesa terciária, de abastecimento nacional a nível agrícola e piscícola.
Compra de todo o tipo de produção agrícola: subsídio do girassol, abate de árvores, etc, etc, etc ...
Abate de navios, restrição pesadíssima de captura de espécies e locais permitidos, passando as nossas águas territorias a ser mal frequentadas por outros países que depois nos veêm vender o nosso peixe .... (dirão os mais santos puros, pios, e puritanos entre os liberais: proteccionista!! Já sabem a resposta.)

E foi ver, os subsídios, e a ausência deles - pelo meter no bolso de alguns (e das respectivas primas e primos, amigalhaços de perto e de Peniche, mais os respectivos conhecidos, ao jeito da formação profissional ...), os biliões (muito grandes) - de actuais euros, para tais fins.

E o Povo, que cada vez gostava mais da mansidão, vendido à UE a troco dos tostões que o Estado português ia dando, acabou por abrir a pestana!

Ora, desta foram os alentejanos, já de outra, quando forem os transmontanos, é de ver o Pinto de Sousa a sair pela janela do seu AP, sito à Braamcamp com a Castilho.
É que, ainda há quem tenha a fruta no sítio.

Oh mar, oh mar, oh mar,
Oh mar dos tubarões,
Quando a maré enche,
Chega-me aos ... calções!


Sabedoria popular.

Parabéns!

6 anos ... já não se trata de Obra, mas de persistência e longevidade

Parabéns ao João Carvalho Fernandes pelo seu 6º aniversário do Fumaças!

Que conte muitos e bons e, se possível, outros tantos!

Tardio às vezes, sempre merecido,
Tem a Virtude o prémio aparelhado
Ao profícuo talento, ao peito honrado,
Que do dever o stádio tem corrido.

O Sábio, que dos louros esquecido
Só no obrar bem os olhos tem cravado
Inópino também se acha c'roado
Por mãos sob'ranas c'o laurel devido

Útil à Pátria seja, as paixões dome,
Seja piedoso, honesto, afável, justo;
Que no futuro o espera ínclito nome.»

Assim falou Minerva ao Coro augusto,
Pondo no Templo do imortal Renome,
De glória ornado, o teu prezado Busto.


- Filinto Elísio, Sonetos

quarta-feira, março 25, 2009

À procura da paz

Um Afegão, com os dois filhos, num abrigo.
ONU renova missão na região, por mais um ano

EPA/JAWED KARGAR

Boca do Inferno

Por um tabu saudável e duradouro

A presidente do PSD deveria quebrar o tabu apenas depois das eleições. Talvez a meio do mandato. Até porque é mais provável que os eleitores votem num candidato que desconhecem do que os nomes que têm sido referidos

No momento em que escrevo, Manuela Ferreira Leite ainda não desfez o tabu: ninguém sabe quem será o cabeça de lista do PSD às eleições europeias. Mas, sente-se, o coração de cada um dos portugueses palpita de curiosidade e ânsia. É exactamente por isso que a estratégia parece sensata. É verdade que, desde que Cavaco inaugurou a instituição do tabu quando retardou o anúncio da sua primeira candidatura à Presidência, tem havido mais tabus na política portuguesa do que na sexualidade humana. Mas, ainda assim, o mistério que rodeia a escolha do candidato poderá contribuir para despertar o interesse dos portugueses nas eleições europeias. Neste momento, os eleitores estão suspensos, a aguardar com expectativa que seja indicado o cabeça de lista no qual a esmagadora maioria vai abster-se de votar.

De facto, o destino da União Europeia não preocupa o português médio - pelo menos a fazer fé nas pessoas (e são muitas) que continuamente adivinham as intenções e os desejos do português médio. Uma das principais características do português médio é, aliás, fornecer informações periódicas das suas inclinações a portugueses um pouco menos médios que escrevem nos jornais. E a antipatia do português médio relativamente às europeias é bastante conhecida. Julga-se que, depois dos subsídios da década de 90, a União Europeia tenha perdido muito do prestígio de que gozava junto do português médio, especialmente a partir da altura em que arranjou emprego a Durão Barroso, atitude que o português médio só pode condenar.

Os partidos também não parecem particularmente interessados na União Europeia. O Parlamento Europeu tem estado para a nossa democracia como a Sibéria estava para a antiga União Soviética. É frequente que um militante incomodativo seja enviado pelo líder do partido para Estrasburgo, onde ele passa cinco anos a desejar ter ido para a Sibéria.

Neste contexto, a estratégia inovadora de Manuela Ferreira Leite saúda-se e, sobretudo, incentiva-se. Na minha opinião, a presidente do PSD deveria quebrar o tabu apenas depois das eleições. Talvez a meio do mandato. Até porque é mais provável que os eleitores votem num candidato que desconhecem do que nos nomes que têm sido referidos. Além disso, não faz muita diferença revelar o nome dos candidatos: de qualquer modo, ninguém sabe muito bem quem é que elegeu para o Parlamento Europeu.
Por exemplo, Emanuel Jardim Fernandes e Sérgio Marques representam actualmente Portugal no Parlamento Europeu. No entanto, como há cinco anos foram anunciados sem tabus, ninguém os conhece. Só um tabu bem reservado e secreto pode dar-lhes a visibilidade que eles merecem.

- Ricardo Araújo Pereira

Jorge Miranda enfrenta ameaça de chumbo

CDS e PCP dão sinais de rejeitar nome proposto pelo PS.

Já agora, se não for pedir muito, claro está, faziam o obséquio de explicar a razão da rejeição de Jorge Miranda?

Se não for pedir muito, claro.
Se não for muita maçada.

Eu sou contra

terça-feira, março 24, 2009

Ai Costa! A vida Costa ...

Mais fome leva Cáritas a criar refeitórios sociais

Enquanto existe a necessidade das entidades privadas de apoio ou acção social agirem para colmatar as degradantes falhas do Estado, os pulhíticos dão-se ao luxo de andarem a receber 5.000 euros por um porcaria de uma reuniãozita que se faz com uma perna às costas.

Tenham vergonha, e vão trabalhar!
Malandros.

E depois ainda se armam em virgens ofendidas!!

Vitorino ganha 5000 por reunião

Brisa: Comissão executiva recebeu 3,9 milhões de euros

A questão que se coloca é:

E o erário público aguenta todas estas sanguessugas?!!!!

É o pato do costume a pagar a conta.

Nem uma cartinha, nem um postalinho ... nada!

segunda-feira, março 23, 2009

Sanefa ...!!

O tal canal ...

ANTES DE SER, JÁ NÃO ERA!...

Os concorrentes ao 5º canal de televisão foram excluídos pela ERC. O 5º canal agora não dava jeito nenhum ao PS, em ano de três eleições. O 5º canal, antes de ser já não era....
Agora uma adiçãozinha minha :))

O excelente sentido de humor de ...

... Medeiros Ferreira :))

A guerra de Sucessão do Provedor

Não durmo a pensar nesta última grave crise que nos bateu à porta e não tem paralelo nos países da zona tonta: a guerra de sucessão do Provedor de Justiça. Marcelo Rebelo de Sousa, com aquele sentido prático que lhe vale tanta escuta, chamou a atenção para o facto de se ter que escolher alguém com idade para assinar relatórios durante dezoito anos . É de facto uma decisão de longo prazo. Paulo Portas faz bem em apelar a Jaime Gama para encontrar um peixe desses nas águas profundas do regime. Isto não é coisa para quem tenha mais de 35 anos...

Pensam que é a coutada deles, pensam

E o pagode, que é manso, deixa.

Como com a designação do Provedor da Justiça, com todos os restantes "altos" cargos públicos.
Os "grandes" partidos políticos portugueses põem, dispõem e compõem o que bem entendem, quando entendem e lhes sobra tempo ...

Em meu entender, Jorge Miranda é uma excelente escolha para Provedor da Justiça.
Resta saber o que Jorge Miranda pensa do assunto! Já alguém lhe perguntou a opinião dele?
Estará Jorge Miranda interessado em desempenhar tais funções?

E o Povo?
Vai continuar a assistir a esta macacada de pulhíticos impávido e sereno?

domingo, março 22, 2009

PJ arquivou suspeitas sobre Freeport em 2003

Mistério. Na Averiguação Preventiva 95/03, os inspectores, depois de uma detalhada análise ao processo do Freeport, são claros: não há indícios de "qualquer acção ilícita". E concluem que a alteração da ZPE nada teve a ver com o licenciamento.

Há um novo dado à volta do caso Freeport: em Novembro de 2003, uma brigada da Polícia Judiciária (PJ) fez uma primeira investigação sobre o processo de licenciamento do outlet de Alcochete, concluindo não existirem indícios de "qualquer acção ilícita". Esta informação consta da Averiguação Preventiva (AP) 95/03 realizada pela Brigada Central de Pesquisa da PJ de Lisboa. Um ano depois, no departamento de Setúbal, apesar das conclusões da primeira investigação, foi aberta uma nova AP que levou à instauração de um processo-crime, o qual levou ao envolvimento do nome de José Sócrates.

O relatório final da AP da brigada da judiciária tem a data de 17 de Novembro de 2003. No documento são elencadas inúmeras diligências de recolha de documentos, até conversas informais com técnicos do Instituto de Conservação da Natureza e responsáveis políticos (já durante o governo de Durão Barroso), os quais, segundo soube o DN, foram unânimes ao afirmar que não houve qualquer tipo de ilegalidade na tramitação do processo. Mais: depois de recolher e analisar os documentos, a própria judiciária concluiu, em 2003, que a alteração da Zona de Protecção do Estuário do Tejo (ZPE) nada teve a ver com o licenciamento do Freeport. Contactada pelo DN, fonte oficial da judiciária não quis comentar o conteúdo da AP 95/03, afirmando desconhecer o teor da mesma.

Estranhamente, em Outubro de 2004, a PJ de Setúbal abriu uma nova AP sobre o mesmo caso, quando existia já a 95/03 feita pela Brigada Central de Pesquisa. Esta nova investigação foi aberta na sequência da recepção de uma carta anónima. Esta, como foi dito no processo ao ex-inspector José Elias Torrão, terá sido elaborada por Zeferino Boal (antigo militante do CDS), após indicação da directora da PJ de Setúbal, Maria Alice Fernandes.

O expediente da nova averiguação foi remetido em Outubro de 2004 pelo Departamento de Setúbal ao então director da Direcção de Combate ao Crime Económico, José Mouraz Lopes. E que novas informações tinha esta averiguação? Nenhumas: apenas recolhas de despachos, notícias e comentários em fóruns da Internet.

"Copy-paste"

A 4 de Fevereiro de 2005, a inspectora Carla Gomes apresentou o relatório final. O suspeito mais forte que consta do documento é a "celeridade inusitada" do processo de licenciamento do Freeport.

Ora, a expressão "celeridade inusitada" acabou por ser "copiada e colada" nos primeiros despachos do processo. Num do Ministério Público do Montijo que ordenou as buscas não domiciliárias e propôs ao juiz a realização de escutas. E voltou a ser referida no despacho do juiz que autorizou as primeiras escutas telefónicas do processo. Os alvos, em 2005, foram: José Dias Inocêncio, ex-presidente da Câmara de Alcochete, José Manuel Marques e Honorina Silvestre, antigos assessores da autarquia, e Manuel Pedro, sócio da Smith&Pedro.

Refira-se, porém, que as escutas autorizadas pelo juiz de instrução do Tribunal do Montijo foram autorizadas com base no conceito legal de "fortes indícios". Um dos quais, segundo o juiz, era a existência de "voz comum" em Alcochete de que houve actos de corrupção para a aprovação do projecto do Freeport. Ora, em Fevereiro de 2005, começa a história pública do caso: buscas ao Freeport e à empresa Smith&Pedro. Só quatro anos depois é que os suspeitos são ouvidos. Júlio Monteiro, tio de José Sócrates, foi testemunha.

- Carlos Rodrigues Lima

Advogados ofereceram aprovação do Freeport em 90 dias

Documento enviado à Smith&Pedro, a 5 de Dezembro de 2001, refere que estava iminente um chumbo do projecto. O que, de facto, aconteceu no dia seguinte.

Um escritório de advogados preparou um memorando para enviar à empresa Freeport, em Inglaterra, no qual eram pedidos cerca de quatro milhões de libras para que o projecto do outlet, em Alcochete, fosse viabilizado. O documento, a que o_DN teve acesso, data de 5 de Dezembro de 2001. Nele se diz que há “questões técnicas” do empreendimento que precisam de ser resolvidas. “De outro modo, o projecto será completamente rejeitado em 48 horas por uma decisão governamental”. Ora, o chumbo aconteceu a 6 de Dezembro de 2001. Os advogados, do escritorio Antunes&Gandarez, prometiam ainda que, em 90 dias, conseguiam a aprovação.

De acordo com uma fonte próxima do processo Freeport, em Novembro de 2001 houve um jantar no restaurante Clube dos Empresários, em Lisboa, que juntou à mesa os advogados Albertino Antunes e José Francisco Gandarez, o então presidente do Freeport, Sean Collidge, Charles Smith e Manuel Pedro, o então embaixador inglês e o ministro da Economia, Mário Cristina de Sousa. O encontro terá sido proporcionado por José Francisco Gandarez, genro de Cristina de Sousa. Contactado pelo DN, o advogado não quis prestar qualquer esclarecimento.

- Carlos Rodrigues Lima
(Leia mais amanhã na edição impressa do DN)

Bem dito

Governo não aproveitou recursos e solidariedade europeia por incompetência
A líder do PSD acusou hoje o Governo, durante um discurso na Cúria, de não ter sabido aproveitar os recursos e a solidariedade europeia “por incompetência”.

Duplicity ou Dupla Sedução

Nos cinemas a 26 de Março

Dia da Poesia

As palavras feitas de música.

É tão suave ess'hora,
Em que nos foge o dia,
E em que suscita a Lua
Das ondas a ardentia,

Se em alcantis marinhos,
Nas rochas assentado,
O trovador medita
Em sonhos enteado!

O mar azul se encrespa
Coa vespertina brisa,
E no casal da serra
A luz já se divisa.

E tudo em roda cala
Na praia sinuosa,
Salvo o som do remanso
Quebrando em furna algosa.

Ali folga o poeta
Nos desvarios seus,
E nessa paz que o cerca
Bendiz a mão de Deus.

Mas despregou seu grito
A alcíone gemente,
E nuvem pequenina
Ergueu-se no ocidente:

E sobe, e cresce, e imensa
Nos céus negra flutua,
E o vento das procelas
Já varre a fraga nua.

Turba-se o vasto oceano.
Com hórrido clamor;
Dos vagalhões nas ribas
Expira o vão furor

E do poeta a fronte
Cobriu véu de tristeza;
Calou, à luz do raio,
Seu hino à natureza.

Pela alma lhe vagava
Um negro pensamento,
Da alcíone ao gemido,
Ao sibilar do vento.

Era blasfema ideia,
Que triunfava enfim;
Mas voz soou ignota,
Que lhe dizia assim:

«Cantor, esse queixume
Da núncia das procelas,
E as nuvens, que te roubam
Miríades de estrelas,

E o frémito dos euros,
E o estourar da vaga,
Na praia, que revolve,
Na rocha, onde se esmaga,

Onde espalhava a brisa
Sussurro harmonioso,
Enquanto do éter puro
Descia o Sol radioso,

Tipo da vida do homem,
É do universo a vida:
Depois do afã repouso,
Depois da paz a lida.

Se ergueste a Deus um hino
Em dias de amargura;
Se te amostraste grato
Nos dias de ventura,

Seu nome não maldigas
Quando se turba o mar:
No Deus, que é pai, confia,
Do raio ao cintilar.

Ele o mandou: a causa
Disso o universo ignora,
E mudo está. O nume,
Como o universo, adora!»

Oh, sim, torva blasfémia
Não manchará seu canto!
Brama a procela embora;
Pese sobre ele o espanto;

Que de sua harpa os hinos
Derramará contente
Aos pés de Deus, qual óleo
Do nardo recendente.


- Alexandre Herculano, A Voz

N' O Carmo e a Trindade

A rocambolesca dos pilaretes

Vale a pena ver, é mesmo rocambolesco!

sábado, março 21, 2009

Olá Primavera!

Não é já de Natal esta poesia.
E, se a teus pés deponho algo que encerra
e não algo que cria,
é porque em ti confio: como a terra,
por sobre ti os anos passarão,
a mesma serás sempre, e o coração,
como esse interior da terra nunca visto,
a primavera eterna de que existo,
o reflorir de sempre, o dia a dia,
o novo tempo e os outros que hão-de vir.


- José Régio, Reflorir, sempre!

sexta-feira, março 20, 2009

O melhor telejornal das 6ªs à noite

Director-geral da TVI responde de forma dura a críticas de socialistas

Moniz admite guerra sem quartel se vir que membros da ERC são servos do poder


Grande José Eduardo Moniz.

Às sextas-feiras não perco o telejornal das 20h, com a Manela Moura Guedes; absolutamente imperdível!!
E as expressões em jeito de comentário?!! Do melhor.
Grande Manela, a Força da Oposição.
A não perder, todas as 6ªs às 20h, na TVI.

Essa corja de prepotentes e autoritários tem os dias contados ...

(...)

Em causa está uma informação divulgada ontem à tarde pela ERC no seu site na Internet, em que lembra que "têm sido divulgadas na comunicação social várias opiniões que criticam, por vezes de forma veemente, alegadas violações graves de deveres éticos ou legais cometidos no Jornal Nacional de sexta-feira da TVI", e que acusam também a própria autoridade dos media de um "silêncio" que seria "incompreensível".

Entre as críticas que nos últimos dias foram lançadas, uma das mais duras foi a do deputado socialista e ex-secretário de Estado da Comunicação Social Arons de Carvalho, a propósito das notícias relativas ao caso Freeport: "Pior do que a revelação de documentos em segredo de justiça é a sua divulgação deturpada, como a TVI tem procedido grosseira e reiteradamente", acusou o antigo governante, num artigo de opinião publicado pela última edição do Expresso."

"Medíocres e ditadores"

"Bem sei", acrescenta, que "o Jornal Nacional das sextas-feiras é de tal forma primário e canhestro que se torna pateticamente ineficaz. Mas não deixa de ser confrangedor verificar que este estilo, onde o rigor é absolutamente inexistente, subsiste há meses perante o ruidoso silêncio da regulação e da auto-regulação do sector", escreveu o deputado socialista.

Moniz, no comunicado, responde, ainda que indirectamente, às críticas de Arons. E fá-lo de forma muito dura: "É apanágio dos medíocres, dos ditadores e dos que têm medo do jornalismo livre adaptarem os conceitos de ética e deontologia ao que lhes convém, torcendo e amarrotando pessoas a seu bel-prazer. Connosco não têm acolhimento essas práticas."

(Grande Moniz)

"Há quem, não conseguindo domar os jonalistas, acredite que o pode fazer instrumentalizando empresas e instituições, utilizando o poder de que dispõe", acrescenta.

E reage também às declarações que têm sido transmitidas na comunicação social por responsáveis do PS e do Governo, nomeadamente o ministro Augusto Santos Silva. "Há quem considere que em democracia é possível condicionar o livre exercício do jornalismo", diz. Moniz lança ainda um recado aos membros do executivo, ao afirmar que "mal iria a democracia, se por via administrativa alguém impedisse os jornalistas de exercer a sua actividade como deve ser".
(Esse, é um ditadorzito)

O noticiário apresentado por Manuela Moura Guedes, que é casada com o director-geral da TVI, foi alvo de quatro reclamações que chegaram às mãos da entidade presidida por Azeredo Lopes. Três foram enviadas por e-mail a 13 de Fevereiro, numa sexta-feira à noite, ao passo que a última chegou às instalações do edifício na Avenida 24 de Julho, em Lisboa, ainda durante o dia de ontem.

Lixo de propaganda (des)governamental

MAIS UM A CAMINHO DAS NOVAS OPORTUNIDADES...

(via mail)

Sabem quem é António Pinto de Sousa?

Ora vejam:

É o novo responsável máximo pelo gabinete de comunicação e imagem do IDT
(Instituto da Droga e Toxicodependência).

Tem competência atribuída para empossar quem quiser, independentemente da sua qualificação académica e profissional, para os cargos dirigentes do Instituto, contrariando os próprios estatutos do IDT.

Ah.... já esquecia de dizer o mais importante:
é irmão de José Sócrates, Pinto de Sousa.

Coisas que nunca mudam

(via mail)

Conta uma antiga lenda que na Idade Média um homem honrado foi injustamente acusado de haver assassinado uma mulher.

Na realidade, o verdadeiro assassino era uma pessoa muito influente do reino e por isso, desde o primeiro momento, se procurou encontrar um bode expiatório para encobrir o verdadeiro culpado.

Assim que o homem honesto e inocente foi preso e levado a juízo, conhecia-se de antemão que teria escassas ou nulas oportunidades de escapar ao terrível veredicto: morte por enforcamento.
O juiz cuidou, não obstante, de dar ao julgamento todo o aspecto de justiça, e por isso ele disse ao acusado:

- Conhecendo a sua fama de homem justo e devoto a Deus, vamos deixar em suas mãos o seu destino. Nós vamos escrever em dois papeis separados as palavras culpado e inocente.
Você escolherá uma, e a sua escolha será a mão de Deus para que decida o seu destino.

Por óbvio, os assistentes corruptos do juiz haviam escrito nos dois papeis a mesma palavra culpado, e a pobre vítima ainda sem conhecer os detalhes, se dava conta de que o sistema proposto era uma trama para condená-lo à morte. Não havia escapatória!

O juiz ordenou ao homem que pegasse um dos papeis dobrados.
O homem respirou profundamente, ficou em silêncio por alguns segundos com os olhos fechados e, quando a sala de julgamento começava a impacientar-se pela demora, ele abriu os olhos e com um estranho sorriso fez sua eleição: tomou um dos papéis e, levando-o à boca, mastigou-o e engoliu-o rapidamente.

Surpreendidos e indignados os presentes protestaram iradamente:

- Por que é que fez isso? E agora? Como vamos saber o veredicto?
- É muito simples, respondeu o homem. É questão de ler o papel que ficou e saberemos o que dizia o papel que eu escolhi.

Com resmungos e raiva mal dissimulada tiveram que liberar o homem e jamais puderam voltar a acusá-lo porque no papel que ficara sobre a mesa estava escrita a palavra culpado.

Caríssimos amigos:
Quando tudo parecer perdido, usem a imaginação.
Quando parecer que não existe uma única luz ao fundo do túnel, usem a imaginação.
Albert Einstein disse uma frase lapidar: "Nos momentos de crises, somente a imaginação é mais importante que o conhecimento".
Com efeito, pode-se alcançar o conhecimento por meio de estudo, de pesquisa e de observação.

Todavia, pela sabedoria ultrapassamos as fronteiras do conhecimento humano e entramos numa dimensão de saber sobrenatural pela iluminação das nossas mentes, a ponto de encontrarmos soluções imediatas para situações que julgávamos insolúveis; para situações que julgávamos sem saída. Refiro-me à sabedoria divina.

"Como é feliz o homem que acha a sabedoria..." (Provérbios 3:13).

quinta-feira, março 19, 2009

Dia do Pai

Ao meu Querido Pai

Homem Honrado e Íntegro.
Exemplo de Hombridade e Respeito.
Lustre de Ponderação e Carinho.
Coração Exemplar.

Obrigada Pai

Disse ao meu coração: Olha por quantos
Caminhos vãos andámos! Considera
Agora, desta altura, fria e austera,
Os ermos que regaram nossos prantos...

Pó e cinzas, onde houve flor e encantos!
E a noite, onde foi luz a Primavera!
Olha a teus pés o mundo e desespera,
Semeador de sombras e quebrantos!

Porém o coração, feito valente
Na escola da tortura repetida,
E no uso do pensar tornado crente,

Respondeu: Desta altura vejo o Amor!
Viver não foi em vão, se isto é vida,
Nem foi demais o desengano e a dor.


- Antero de Quental, Solemnia Verba

Aos poucos a minhoca vai saindo do buraco

'Skin' revela 'offshores' de tio de Sócrates
(de outro tio, que não aquele que já se conhece! Quantos mais haverá?!!)

Através do Arte da Fuga

O ramo materno de Pinto de Sousa, pelos indícios que têm vindo a público, é multimilionário!

Documentos foram colocados no 'site' Fórum Nacional

São 67 páginas de documentos bancários de Celestino Monteiro, irmão de Júlio Monteiro, ambos tios de José Sócrates, que Mário Machado, líder dos Hammerskins portugueses, colocou na Internet. Os papéis publicados vão desde os certificados de constituição de uma offshore até aos movimentos bancários efectuados durante alguns meses do ano de 2001. Entre compra e venda de acções, o valor global das transacções do tio materno do primeiro-ministro ultrapassou os cem milhões de euros.

Os documentos mostram a constituição de uma empresa offshore, a Medes, no estado do Wyoming, nos EUA, e de algumas subsidiárias, como uma em Gibraltar. Contactado pelo DN, o Banco Popular, entidade que absorveu o antigo Banco Nacional de Crédito, pelo qual, através da BNC International, foram feitas as transacções, não negou a veracidade dos documentos.

Rejeitou, isso sim, qualquer responsabilidade numa eventual violação do sigilo bancário: "Acabámos de tomar conhecimento desta situação. Os documentos, com data de 2001, não indiciam qualquer quebra de sigilo bancário" por parte da instituição bancária, afirmou Paulo Frutuoso, do departamento de comunicação. Isto porque, segundo a mesma fonte, se trata de "correspondência enviada ao cliente". E adiantou: "A BNC Cayman foi desactivada pelo Banco Popular no início de 2006."

Por sua vez, Maria Teixeira, advogada que representou Júlio Monteiro no processo Freeport, mostrou-se surpreendida com a revelação e com o teor dos documentos. Impossibilitada de contactar Celestino Monteiro (o DN também procurou contactar o empresário, mas sem sucesso), a advogada garantiu, ainda assim, que "o caso vai ser seguido", remetendo para hoje uma reacção formal.

Já Mário Machado, líder dos Hammerskins portugueses, descreveu desta forma como teve acesso à documentação: "Estava em casa, tocaram duas vezes à campainha. Quando abri a porta, vi um cobertor. Desenrolei-o e lá dentro estava a documentação. Se for chamado, será isto que direi na Polícia Judiciária."

Mário Machado disse ainda estar preparado para assumir todas as consequências que a publicação dos documento possa envolver.

Esta notícia no recauchutado, e a preceito, Diário de Notícias.
Um visual todo catita.
Vale a pena ir ao Forum Nacional, ena, ena, eh pá, poça ... É por isso que já noticiaram a detenção de Mário Machado, alegadamente por razões completamente distintas da publicação, infelizmente, aquilo que ele lá afirma pode ser uma realidade!
E depois eles é que são os fáxistas ...!!!
Grande Mário Machado.
Não quererá o Ministério Público aproveitar para recolher provas?
É que parece que os ingleses já o fizeram ...
Andam sempre um passo atrás, e a assobiar para o lado, quando se tratam de pulhíticos.
Tá bem oh melga.

quarta-feira, março 18, 2009

Tá cebola ...!!

Combate à corrupção

Dirigentes máximos obrigados a responder a questionário


Guilherme de Oliveira Martins, presidente do Tribunal de Contas e do Conselho de Prevenção da Corrupção (CPC), afirmou esta quarta-feira que é "preciso reduzir drasticamente as oportunidades que conduzem à corrupção", alertando que a ocasião pode conduzir à infracção
Vão ver-se muitos a andar por aí, a dizerem que foi da cebola dos cozinhados de fim-de-semana ...

Absolutamente delicioso!!
Bravo!

Oh sr PM ...

... tenho um panarício aqui numa unha, e lembrando-lhe a maratona de eleições que se avizinham, fazia-me falta uma contribuição governamental para o meu Fundo de Sobrevivência ...

Agradecida.

Medidas extraordinárias anti-crise

Hoje na AR, foi uma Marcha Orquestral de propaganda a retalho; para todos os gostos e feitios.

Vai daí, Pinto de Sousa, num assumo eleitoralista, saca do bolso um punhado de promessas a avulsos; tudo para adormecer o pagode.

Ora, não passa de propaganda de pechisbeque.
O celebérrimo Simplex, é uma pouca vergonha de, mais um, flop deste (des)Governo.
Mais uma vez, tive hoje a prova provada desta afirmação, passei 4 horas na Segurança Social, para obter uma declaração que levou 10 minutos a ser entregue.
Toma lá e vai-te curar.

Mas, curar, curar, vai ser a cura que os portugueses vão dar a Pinto de Sousa e ao PS nas próximas legislativas.
Deve pensar que os portugueses são parvos ...

Novos achados em Luxor

Uma equipa hispano-egípcia, liderada por José Manuel Galán, encontrou em Luxor, na margem do Nilo, uma câmara funerária pintada há 3500 anos, anunciou o Conselho Superior de Investigações Científicas de Espanha.

O túmulo, que faz parte da necrópole de Dra Abu el-Naga, tem as paredes e o tecto completamente pintados com desenhos e hieróglifos do Livro dos Mortos e seria de Djehuty, que foi um escriba real, supervisor do tesouro e dos trabalhos dos artesãos do rei sob as ordens de Hatshepsut, uma das poucas mulheres que foram faraós, filha de Tutmosis I (18.ª dinastia), cujo reinado durou de 1479 a 1457 antes de Cristo.

Zahi Hawass

- New Discovery in the Tomb of Djehuty (TT11) at Dra Abu El-Naga

terça-feira, março 17, 2009

St. Patrick's Day

segunda-feira, março 16, 2009

Só contratavam até aos 35 ...

El Khazneh, Petra

Um casal Bonito

O que esta fedelha precisava ...

... era de uma tareia bem dada.
Acabavam-se-lhe logo as manias de agredir professores, ou fosse quem fosse.

Professora agredida por aluna em Aveiro

Deviam começar pelos pais da fedelha.

Andam a criar monstros.

Não, não sou Bárbara.

Já não era sem tempo ...

... que alguém chama-se os bois pelos nomes.
Cambada de medricas e acomodados.

Jerónimo de Sousa acusa Sócrates de usar argumentos do fascismo

domingo, março 15, 2009

Cada tiro, cada melro ...

Ferreira Leite já sabe quem quer para cabeça-de-lista às europeias

... mas remeteu o anúncio do nome para outro momento.

Esta senhora, tem uma incapacidade política gritante.
Não tem capacidade de liderança, de estratégia e de visão política.

Mais um presidente do PSD ao tapete.

Caldo verde

Pinto de Sousa foi a Cabo Verde dar Migalhães e prometer 270 milhões de euros de investimento à custa do pato do costume: o palerma do contribuinte português.

Não se enxerga.
E não enxerga que, quando sair do tacho vai ser uma caçada interessante.
Até lá, ou acudimo-nos a nós mesmos fazendo o maior barulho possível, ou quando o dito cair da cadeira, não vai restar grande coisa de país para se ver.

Já agora, àqueles que caírem na tentação de afirmar que se trata de uma questão de interesse estratégico, recordo que a estratégia começa em casa.

Sócrates fecha visita com 270 milhões de investimento

IRS 2008 - Atenção à actualização da relação de dependentes

(via mail)

Vou dar uma ajuda...

DECLARAÇÃO ANUAL DE RENDIMENTOS - IRS

(Por definição, são meus dependentes, todos aqueles que SOU OBRIGADO, POR LEI, A SUSTENTAR)

RELAÇÃO DOS MEUS DEPENDENTES:

01) Presidência da República e assessores;

02) Governo e assessores (até mesmo os familiares nomeados por clientelismo político);

03) Câmara Municipal de ... e assessores (idem) ;

04) EPAL (consumos mínimos);

05) EDP (consumos mínimos);

06) TELECOM; OPTIMUS; etc.

07) Gás de Portugal (consumos mínimos);

08) Beneficiárias da taxa de saneamento básico (recolha de lixo, etc);

09) Centros de inspecção de veículos;

10) Companhias seguradoras (seguro automóvel obrigatório) ;

11) BRISA - Portagens;

12) Concessionárias de parques e estacionamento automóvel;

13) Concessionárias de terminais aeroportuárias e rodoviárias;

14) Instituições financeiras - Taxas de administração e manutenção de
contas correntes, renovação anual de cartões, requisição de talões de
cheque etc.;

15) Mais de 250 deputados da Assembleia da República, com os
respectivos ESQUEMAS de apoio.

16) BPN, BPP e demais esquemas de enriquecimento fácil de
administradores e gestores cleptomaníacos a que o estado entrega os
impostos que pago, para evitar o alarme social e financeiro.

Tenho a certeza de que me esqueci de um monte deles ...
Podes lembrar-te e acrescentar por mim?


17) Gestores e administradores de EPEs

18) Funcionários públicos fora de prazo, brincando na internet

19) Comitivas de jornalistas e "empresários" que sempre seguem o PR e o PM

20) Partidos políticos e respectivas penduras aparelhísticas

sexta-feira, março 13, 2009

Lello!!

"Isto vai ter de se resolver rapidamente",diz Manuel Alegre.
Isto depois das boquinhas delicodoces da banda cósmica do PS: Candal sénior e de Lello (o inpenitente de serviço ...).

Ainda Alegre:

Alegre exige ao PS demarcação das declarações de José Lello

"Se eu fosse às reuniões do grupo parlamentar, se calhar já não havia grupo, nem governo"

Pois eu cá acho, oh deputado Alegre, que já ontem era tarde.

Uma pequena homenagem à banda cósmica do PS - entre aqueles de que se fala, aqueles que falam, aquelesoutros que nada dizem, e todos os que contribuem para o estado em que o país se encontra: pior do que uma pocilga.

Como é que é?!!

Ex-director da 'Exame' diz ter sido advertido por Dias Loureiro
A revista foi processada pelo banco por ter revelado em 2001 "irregularidades" no banco (BPN)

O ex-director da revista Exame, Camilo Lourenço, garantiu ontem, no Parlamento, ter "ficado espantado" com as declarações feitas por Manuel Dias Loureiro aos deputados da Comissão Parlamentar de inquérito ao caso BPN quando este disse ter pedido uma reunião com António Marta, vice-governador do Banco de Portugal para " manifestar preocupação relativamente ao BPN".

O jornalista recordou que,depois da publicação, Dias Loureiro falou com Pinto Balsemão - proprietário da revista - dizendo que queria falar com Camilo Lourenço, e revela que quando o actual conselheiro de Estado se cruzou com ele nos estúdios da SIC e lhe disse que a reportagem causara "incómodo" ao grupo BPN.

Refira-se que em Março de 2001, a Exame fez capa com o tema do BPN, chamando a atenção para o elevado ritmo de crescimento da actividade do banco, as elevadas taxas dos depósitos, o excesso de concentração do negócio nos seus accionistas. Camilo Lourenço garantiu ontem que "a primeira informação credível de que algo de grave se passava no BPN veio do próprio Banco de Portugal".

Camilo Lourenço frisou que estas informações vinham do departamento de supervisão do BP. Pelo que, disse ter ouvido com alguma indignação informações de vários elementos do banco central a dizerem aos deputados que não tinham detectado a existência de problemas no BPN. Camilo Lourenço lembrou ainda que, na altura da publicação do artigo, o BPN colocou um processo judicial contra a revista de Exame de "vários milhões de euros" e que nessa altura um responsável da instituição bancária telefonou dizendo: "Isto é para vocês jornalistas aprenderem. Para nunca mais voltarem a escrever sobre o BPN ". Posteriormente a empresa detentora da Exame negociou um acordo com o BPN para solucionar este processo judicial.

Para quem tiver oportunidade ...

... de ir passar o fim-de-semana a Faro, ou já se encontrar por lá, vale a pena assistir à conversa destes três

Uma tarde, dois livros, três convidados

Ithaca

O nome da Rosa - filme

quinta-feira, março 12, 2009

O rojão está de volta?!!

Ainda há 4 dias atrás falei de Candal sénior, i.e., de Carlos Candal.

Andava Candal sénior arredado das lides mediáticas, mas tendo em conta que o júnior andou a fazer bodega, o sénior avançou para não perder o seu petit espaço de influência, e vai daí, borduou Manuel Alegre!!

Mas, como não podia deixar de ser, e ao seu estilo do chavascal fideliano, Candal sénior a cada cavadela que deu, saiu-lhe uma minhoca maior!

Primeiro foi a entrevista ao Rádio Clube, e depois da dita no ventilador, avançou para as explicações à SIC (provavelmente só disponível amanhã/hoje) que foram de rir às gargalhadas!!
Ora confirmem:

Candal defende processo disciplinar contra Manuel Alegre
A entrevista pode ser ouvida aqui

“Não é pensável que Manuel Alegre faça o que tem feito sem levar um chuto"

Entretanto resta saber se Manuel Alegre lhe prega um chuto no derriére, ou se pura e simplesmente nem lhe passa cartão.

E também, de esperança e ternura II

É espantoso o afecto que se pode estabelecer entre espécies tão distintas.

Quando o furação Hannah separou da sua mãe dois tigres brancos da Carolina do Sul, Anjana (uma chimpanzé) veio em seu salvamento.

Anjana assumiu muito bem o papel de mãe, oferecendo carinho, brincando e ajudando até na alimentação.

Passa grande parte do dia dedicando-se aos tigres e sente-se feliz com o papel que desempenha.
E os tigres brancos também estão verdadeiramente deliciados com a sua "mãe".









E também, de esperança e ternura I

Dois homens, ambos gravemente doentes, estavam no mesmo quarto de hospital. Um deles podia sentar-se na sua cama durante uma hora, todas as tardes, para que os fluidos circulassem nos seus pulmões.

A sua cama estava junto da única janela do quarto.

O outro homem tinha de ficar sempre deitado de costas.

Os homens conversavam horas a fio. Falavam das suas mulheres, famílias, das suas casas, dos seus empregos, dos seus aeromodelos, onde tinham passado as férias...

E todas as tardes, quando o homem da cama perto da janela se sentava,passava o tempo a descrever ao seu companheiro de quarto todas as coisas que conseguia ver do lado de fora da janela.

O homem da cama do lado começou a viver à espera desses períodos de uma hora, em que o seu mundo era alargado e animado por toda a actividade e cor do mundo do lado de fora da janela.

A janela dava para um parque com um lindo lago. Patos e cisnes, chapinhavam na água enquanto as crianças brincavam com os seus barquinhos. Jovens namorados caminhavam de braços dados por
entre as flores de todas as cores do arco-íris. Árvores velhas e enormes acariciavam a paisagem e uma tênue vista da silhueta da cidade podia ser vislumbrada no horizonte.

Enquanto o homem da cama perto da janela descrevia isto tudo com extraordinário pormenor, o homem no outro lado do quarto fechava os seus olhos e imaginava as pitorescas cenas.

Um dia, o homem perto da janela descreveu um desfile que ia apassar:
Embora o outro homem não conseguisse ouvir a banda, conseguia vê-la e ouvi-la na sua mente, enquanto o outro senhor a retratava através de palavras bastante descritivas.

Dias e semanas passaram. Uma manhã,a enfermeira chegou ao quarto trazendo água para os seus banhos, e encontrou o corpo sem vida, o homem perto da janela, que tinha falecido calmamente enquanto dormia.

Ela ficou muito triste e chamou os funcionários do hospital para que levassem o corpo.

Logo que lhe pareceu apropriado, o outro homem perguntou se podia ser colocado na cama perto da janela. A enfermeira disse logo que sim e fez a troca.

Depois de se certificar de que o homem estava bem instalado, a enfermeira deixou o quarto.

Lentamente, e cheio de dores, o homem ergueu-se, apoiado no cotovelo, para contemplar o mundo lá fora. Fez um grande esforço e lentamente olhou para o lado de fora da janela que dava, afinal, para uma parede de tijolo!

O homem perguntou à enfermeira o que teria feito com que o seu falecido companheiro de quarto lhe tivesse descrito coisas tão maravilhosas do lado de fora da janela.

A enfermeira respondeu que o homem era cego e nem sequer conseguia ver a parede. Talvez quisesse apenas dar-lhe coragem....

- Moral da História:

Há uma felicidade tremenda em fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas.

A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade, quando partilhada, é dobrada..

Se te queres sentir rico, conta todas as coisas que tens que o dinheiro não pode comprar.

quarta-feira, março 11, 2009

Dias negros



Persegue o invisível, o que está
para além do que abarca o teu olhar.
O que fica na sombra do que há
por trás do que te é fácil observar.

Procura o indizível, o que não
se logra por palavras traduzir.
O que mora tão-só no coração
e a boca não sabe transmitir.

Deseja o impossível, o que habita
as altas nuvens ou reside apenas
no silêncio das coisas mais pequenas.

Não te conformes ao que te limita,
rebenta as grades, voa, salta o muro,
rasga a bruma e mergulha no futuro.


- Torquato da Luz, Mergulho

A China fez do Tibete «um inferno na Terra»

Foram muito duras as palavras que o Dalai Lama usou para falar dos 50 anos da sua fuga para o exílio.

Perante milhares de tibetanos reunidos em Dharamsala, na Índia, o líder espiritual reiterou que o Tibete deve gozar de uma «autonomia significativa». Mas acusou as autoridades chinesas de levar «o inferno para a Terra» no «Tecto do Mundo».

(clique para ver as imagens)

Madoff to plead guilty

Bernard Madoff, accused mastermind of a $50 billion fraud scheme, is expected to plead guilty on Thursday to 11 criminal charges that could put him in jail for the rest of his life.
Squach.

Está cá o Zédu

Como é que sei?

Porque o Shopping Center das Amoreiras estava cheio de people a fazer compras em barda.

E agora digam lá que a economia portuguesa anda pelas lonas!!

Olhó petropilim, onde caí não faz atchimmm!
Santinho
...

Empreiteiros, patos-bravos, mão-de-obra e escravos

Dois subempreiteiros portugueses detidos na Alemanha

Dois subempreiteiros portugueses foram detidos em Estugarda, Alemanha, por suspeita de angariação de trabalho clandestino e fuga ao fisco, e terão ficado a dever salários a dezenas de operários portugueses e de outras nacionalidades, disse fonte consular.

(...)

Como estes, muitos outros.
O que dizer das redes organizadas de auxílio à imigração ilegal, que praticam a extorsão, escravtura, etc, etc (tudo meninos do coiro).

Os imigrantes que chegam a Portugal de forma ilegal, com intuito de ganharem a vida - trabalhando de forma legítima e honrada (claro que não são todos, infelizmente ...) - são enganados: tanto nos países de origem, onde pagam verdadeiras fortunas a troco de promessas, como em Portugal!

Quando são confrontados com a realidade, é todo um panorama bem diferente do prometido: gato por lebre.

E o que dizer desses pseudo empreiteiros, sub-coisos e patos-bravos?!
Tudo fanfarrões, exploradores, corruptos, extorcionistas e mentecaptos.
Excepções? Muitíssimo raras.

Um caso concreto, que ilustrará na perfeição a mentalidade do pato-bravo (que abrange as três categorias de pedrugulhos armados em empresários:

- um imigrante ilegal aproxima-se de um dessa espécie, e pede trabalho;

- o pato-bravo pergunta se tem papéis, o imigrante responde que sim, o pato-bravo não está interessado;

- outro imigrante, aproxima-se do mesmo pato-bravo, e pede-lhe emprego, o pato-bravo faz-lhe a mesma pergunta, o imigrante diz: não tenho papéis patrão, o pato-bravo afia as mãos e diz que está contratado!!

Razões para o pato-bravo contratar o imigrante ilegal e não o legal:

- como o pato-bravo está já a pensar em não lhe pagar, nada melhor do que um imigrante ilegal para estar caladinho, porque se fosse queixar-se era logo extraditado;

- tem sobre o ilegal o poder de o denunciar ao SEF - que serve como bicho papão para afastar qualquer tentação de receber ordenado!!

- o pato-bravo ao invés de pagar X, paga-lhe menos de metade;

- o pato-bravo não assina contrato de trabalho, não faz descontos para a Seg. Social, não paga os correspondentes impostos relativamente ao imigrante ilegal, e depois, ainda encaixa o dinheiro que o imigrante trabalhou duramente para ganhar, mas que o pato-bravo não pagou.

Ora, como podem ver, os imigrantes ilegais são o sonho de qualquer categoria do pedregulho da espécie pato-bravia.

E o que é que faz o Estado perante esta situação? Nomeadamente as ditas autoridades públicas:

NADA.
Todos sabem.

Porque as obras públicas, tais como as privadas, têm de um lado por fonte de mão-de-obra, adivinhem ... os imigrantes ilegais, e do outro os empreiteiros, sub-coisos, patos-bravos, engenhêros, arquicoisos, fiscales, etc, etc, e até a prima do dono da obra, que se banqueteiam à custa do ilegal.

PNETMoçambique

PNETMoçambique

É o JPT, vulgo Zé Pimentel Teixeira, que da sua Ma-Schamba em contínua labuta, vai trabalhando a internet de e para Moçambique.

Crónica de uma sociedade multiracista‏

“O senhor ministro da Administração Interna tem é que olhar para esta situação e tem é que ter vergonha da Polícia que tem. O país deve ter vergonha da Polícia que tem. Uma Polícia destas não interessa a ninguém. Vão lá para fora, para Timor, para o Iraque, para o Afeganistão, fazer tarefas que não têm nada a ver com eles, e não arrumam a casa deles. Cá, na casa deles, é o Faroeste. Os ciganos recebem rendimentos mínimos para adquirirem armas e andarem aqui aos tiros e ninguém faz nada, é uma impunidade total. Nós vivemos aqui num clima de medo e de terror, e ninguém nos defende. A Polícia diz que não podemos fazer justiça pelas próprias mãos. Então se não nos podemos defender, temos que ser aqui mortos e sacrificados?”

Quem fez estas declarações foi Marco Pereira (na foto), jovem negro que foi detido no Domingo em Carnaxide, num local “referenciado por tráfico de armas” e que na altura da detenção transportava consigo um revólver Magnum 32, para o qual não tinha licença.

O indivíduo é suspeito de ter participado no tiroteio nas Olaias no fim-de-semana.

- Novo Press Info

Este é o rapaz que defendeu a prima grávida de sete meses de ser espancada por um bando de ciganos/as.

O rapaz só diz o que deve ser dito, e aquilo que todos pensam, mas não dizem - pelas mais variadas razões.

Já agora, vale a pena dar uma olhadela neste site de notícias: Novo Press Info, já na coluna da direita.

terça-feira, março 10, 2009

Ao som de ...


Becos & tiros - Tiros & becos

Lisboa mostra as suas nódoas negras, contusões e traumatismos cranianos.

Na tarde de Domingo, por volta das 18 horas, surgiu um alerta na Esquadra da PSP das Olaias dando conta de disparos na zona. O corpo de intervenção rápida da PSP deslocou-se para o local tendo a zona sido cercada pela polícia e a circulação automóvel vedada.
Tudo sucedeu depois de se terem registado confrontos entre grupos de moradores. Em declarações à agência Lusa, Marco Pereira, de 22 anos, afirmou que os disparos “não têm nada a ver com questões de droga, mas sim com problemas sociais” e acrescentou “os ciganos não nos respeitam”, para este morador a origem do conflito está relacionada com a disputa de uma habitação.
O presidente da Junta de Freguesia do Alto do Pina por sua vez manifestou que anteriormente já se verificaram “pequenos desacatos” relacionados com a ocupação de casas no Bairro Portugal Novo, nas Olaias, e que as autoridades estão alertadas para o problema. “Já tinham acontecido pequenas exaltações, pequenos desacatos,relacionados com a ocupação de casas, mas nada de grave, tudo coisas pequenas”, afirmou o edil Fernando Braamcamp. Que seguiu, garantindo que as autoridades e a câmara tem sido alertadas para as “pequenas situações” que se têm verificado num bairro que classificou de “problemático”.
Um outro morador disse à Lusa que já na tarde de sábado tinham-se verificado problemas, quando “uma mulher grávida de sete meses foi agredida”, ao intervir numa discussão sobre uma casa ocupada.

Vários disparos nas Olaias, PSP no local
Bairro Portugal Novo «é um problema»
Problemas entre etnias regressaram a Lisboa, com tiros e pedradas.

Polícia teve de marcar presença no local

Olaias: apanhado suspeito de tiroteio
O tal, o alegado, suspeito, preto, perdão de raça negra, é o mesmo que tinha defendido a prima grávida de 7 meses de ser espancada por ciganos/as, perdão, indivíduos da étnia cigana ... em Portugal já tem que usar-se pinças para tudo, até para evitar enrolar as papilas gustativas, vulgo, língua.

Olaias: PSP está a proceder a averiguações para apurar origem de desacatos e autor de disparos

António Costa quer explicações do Governo sobre segurança
Presidente da Câmara de Lisboa fala em falta de visão de conjunto

Olaias: presidente da Junta de Freguesia diz que local é "barril de pólvora"

Documento sobre problemas no bairro Portugal Novo foi ignorado

N' O Carmo e a Trindade

Medina Carreira

Igual a si mesmo.

Em entrevista a Mário Crespo na SIC

Concordo, até com o Presidencialismo temporário!
Enfim ... "o país anda a ser embebedado pela classe política."

domingo, março 08, 2009

No Dia Internacional da Mulher com Humor!

Ao sr. Ramalho Ortigão que publicou no Diario da Manhã o folhetim seguinte, com o título:

Os exames no Lyceu Nacional—Os fins da educação—Um programma de ensino para o sexo feminino—Como se prepara a emancipação das mulheres—Duas catastrophes: o estado da litteratura feminina, e o estado da cosinha nacional—Grito afflictivo do paiz: menos odes e mais caldo.

Termina assim o summario do ultimo numero das Farpas. Qual de nós deixaria de ler com a maxima attenção um artigo escripto pelo sr. Ramalho, sobre assumptos de tanto interesse para o nosso sexo? nenhuma de certo. E para que se não diga com verdade que o grito afflictivo do paiz, do qual o sr. Ramalho se faz orgão, pedindo-nos caldo, não foi ouvido por uma só mulher portugueza, que, condoida, o soccorresse, venho por mim e em nome das senhoras portuenses, dar-lhe não só caldo, mas tambem luz, que o alumie nas suas investigações ácerca d'um assumpto, que é realmente grave—a dyspepsia nacional, que s. ex.ª attribue á nossa ignorancia culinaria, fazendo assim pesar sobre nós, tão tremenda responsabilidade.

Se o assumpto de que se trata, não fosse realmente grave, contentar-nos-hiamos com o praser que nos dá sempre a leitura dos escriptos do sr. Ramalho, pela elegancia do seu estylo, e finura do seu espirito, e apenas diriamos, na nossa linguagem de cozinheiros: É pena que os escriptos do sr. Ramalho não sejam mais succulentos! são como os caldos feitos pelos cosinheiros francezes, de apparencia magnifica, depurados até á transparencia, muito aromatisados ... mas sem substancia.

Quer-nos porem parecer, apesar da ironia com que o sr. Ramalho falla sempre de nós, que não tem rasão para nos querer mal; e que como filho, esposo e irmão de senhoras portuguezas, e por isso quasi nosso irmão, deseja com certeza a nossa felicidade e se promptificaria da melhor vontade a fazer-nos um favor se lh'o pedissemos. Ouça-me pois.

Não ensine á sr.ª D. Jeronyma, nem a mulher nenhuma portugueza, como se faz esse alambicado caldo francez, tão purificado, que por fim como o proprio sr. Ramalho confessa, deixa de ser um alimento. Se tem amor á sua patria, anime-nos, e aconselhe-nos a que continuemos a fazer os classicos caldos portuguezes, succulentos e compactos como os faziam nossas avós, e como nós todas ainda hoje sabemos fazer. Se o principal agente do temperamento d'um povo, do seu caracter e da formação das suas idéas, é, como s. ex.ª diz a sua alimentação, não esqueçamos que foi comendo esses caldos e quasi só com elles, que os energicos e valentes portuguezes contiveram sempre em respeito o poder de Castella, e que na Africa, e na Asia praticaram acções de tão prodigioso valor. E descendo á historia dos nossos dias, lembre-se que os vultos grandiosos dos lidadores da epopéa da liberdade, apesar de alimentados pelo caldo nacional e então infelizmente bem magro, mostraram em cem combates a sua heroica energia, e sua valorosa audacia, sem que o estomago se incommodasse com a dyspepsia nacional. É só com caldo, e com brôa que todos os dias se alimentam aqui centenares de homens do povo, que supportam, sem cansaço, nem fadiga, durante dez ou doze horas por dia, os mais rudes trabalhos; e comtudo não soffrem de dyspepsia. Será por terem mulheres muito instruidas, ou porque o caldo que comem é preparado por cosinheiros de 5:000 francos? deve ser por uma d'estas rasões, visto que é o sr. Ramalho quem nol-o affirma.

A dyspepsia não é em Portugal uma doença nacional, é quasi privativa dos homens das classes elevadas—e quer que lhe digámos porque? Porque elles teem com raras excepções, uma mocidade dissipada; porque na idade dos quinze aos vinte annos, quando os rapazes inglezes e allemães fazem consistir o seu maior prazer em se exercitarem nos jogos athleticos, e todo o seu orgulho em serem vencedores n'uma corrida ou n'uma regata, os portuguezes vão descançar das lides do estudo nos bancos dos botequins e das tavernas, onde é considerado heroe aquelle que come e bebe mais brutalmente, e como deus o que engole successivamente vinte e um calices de licor ou cognac, o que na pittoresca phraseologia d'esses senhores se chama dar uma salva real! Desculpa-os porém o axioma do nosso codigo de educação: que é preciso dar muita cabeçada para vir a ser homem serio.

Conhece o sr. Ramalho, bem melhor do que nós, todos os perigos porque passam os rapazes desde que se emancipam da tutella materna, até que chegam a ser homens. Estude o meio de os livrar d'esses perigos, e de lhes regenerar os costumes, e verá que, quando chegarem a ser chefes de familia, seu natural destino, não precisarão de encontrar na esposa o braço forte que lhes seja amparo, e terão o estomago são como em crianças, podendo digerir perfeitamente um caldo, mesmo quando elle não seja perfeitamente transparente, e até quando tenha seus vestigios de gordura. Faça isto que lhe pedimos, e todas nós bemdiremos o seu nome, pois d'este modo terá prestado um importantissimo serviço ao seu paiz.

O seu programma para a educação das mulheres parece-nos excellente para a França, Inglaterra e outros paizes onde as meninas são educadas nos collegios, longe da familia; mas aqui onde em geral as creanças que os frequentam comem e dormem em casa, essa educação que nos habilita a ser boas ménagéres, já que o sr. Ramalho gosta de francezismos, recebemol-a nós todas com o exemplo e lição de nossas mães.

Em Portugal onde todo o serviço domestico é geralmente feito em casa, todas nós sabemos como se lava, como se engomma, como se cozinha, como se faz doce, como se talha um vestido, etc. Mesmo as senhoras que não fazem esses serviços sabem como elles são feitos, pois desde crianças os viram fazer. O que não sabemos, lá isso não, é differençar os differentes generos de mobilia e o seu estylo caracteristico nas epocas mais notaveis da arte ornamental, etc. etc.; mas em quanto considerarmos, como até agora, a vontade, e o gosto do dono da casa, a suprema lei que nos rege na escolha de todos esses artigos em que nos falla, deixaremos esses conhecimentos aos cuidados dos nossos maridos.

Em quanto á nossa educação moral, estamos convencidas que em paiz nenhum as mulheres são mais honestas, mais laboriosas, mais dedicadas, mais sobrias e economicas, mais submissas á vontade do marido que nós, e toda a eloquencia do sr. Ramalho não é capaz de abalar sequer a nossa convicção.

Em França e em Inglaterra ha muitas mulheres—por profissão—enfermeiras, aqui não as ha senão nos hospitaes, e nem se lhes sente a falta, porque em toda a casa onde ha uma mulher, quer ella seja mãe, esposa, filha, irmã, ou mesmo criada, ha uma enfermeira sollicita, carinhosa e dedicada, cuja coragem nem sequer vacilla ante os horrores do contagio, que tantas vezes aniquilla o animo de homens energicos e audaciosos.

Para sabermos fazer prodigios de economia não precisamos de nos alistar n'uma escola ingleza, e, se o não soubessemos, a primeira mulher do povo que interrogassemos n'ol-o ensinaria. Tambem em Portugal se póde sustentar uma familia com 18$000 réis por semana, mas n'essa familia—o chefe, que trabalha do nascer ao pôr do sol, sustenta-se comendo tres tigellas de caldo que lhe custam 10 réis cada uma, 20 réis de sardinhas, e 10 réis de brôa por dia: total 90 réis.

Convença os homens, com a sua deslumbrante eloquencia, de que este alimento é muito sufficiente para lhes conservar robustas as forças vitaes, e verá como nós todas fazemos economias prodigiosas, e como uma casa deixará de ser uma lôba para se transformar n'uma burra.

Mas se considera como o ideal da perfeição na mulher, ser ella o braço forte e escudo da familia, tambem lhe podemos aqui apontar numerosos exemplos d'essas. As mulheres de Avintes passam os dias remando e guiando barcos no nosso Douro para ganhar o pão dos filhos, em quanto os maridos ficam em casa cosinhando: já vê que para qualquer de nós realizar o seu ideal basta casar em Avintes.

A educação intellectual das mulheres, quando ellas se não dediquem a ser mestras, póde, e até deve, assim como a moral, receber, como complemento necessario, as liçoes dos homens de quem forem esposas. Assim reconhecendo no marido superioridade em tudo, até mesmo nos conhecimentos litterarios, ser-lhes-ha mais facil ter por ele esse respeito que a religião e a sociedade nos impõem como o primeiro dever da esposa.

Em quanto á emancipação das mulheres, esse sonho dourado das senhoras inglezas—nós, menos profundas pensadoras, não o queremos.

Entendemos que a naturesa, que nos obriga a soffrer cruciantes dores physicas para attingirmos o apogeo da nossa gloria—o ser mãe, nos ensina a todas, que a nossa missão na terra, é saber soffrer e amar, por isso beijamos com os olhos rasos de lagrimas de alegria o filho que acaba de nos fazer soffrer as dôres da maternidade, e abençoamos reconhecidas a mão que prende as nossas algemas de escravas, quando essa mão é a de um homem, em quem passados os enthusiasmos da paixão, encontramos as solidas virtudes que apreciamos e respeitamos.

Regenerados os costumes dos homens, a familia portugueza, constituida como até agora, poderia ser apresentada como modelo ás nações mais civilizadas da Europa.

Filhos ambos da mesma terra, e quasi da mesma idade, considero-me sua irmã e como tal deixe-me dar-lhe um conselho. Se eu tivesse a sua intelligencia, inquestionavelmente uma das mais brilhantes do paiz, essa sua robustez physica, a sua grande cabeça na qual o chapéo de Thiers ou de Bismark assentaria perfeitamente, dedicar-me-hia a escrever livros, que fossem mais uteis do que agradaveis, e deixaria aos palhaços dos circos o trabalho de fazer rir o publico.

Em paga de todos os favores, que lhe peço, prometto fazer-lhe só um, mas esse importantissimo.

Não dizer a nenhuma senhora portugueza com que caldo creseu e medrou o sr. Ramalho, senão julgal-o-hiam tão criminoso como quem maldiz dos seus.

Sua

Irmã de Caridade

- As Farpas, Jan. de 1878

O Comunicar a Direito com novo pouso

Com um look muito à frente, ou como diriam os putos, bué de fixe.

Comunicar a Direito

Eu é que sou o Patrão

Lisboa pitoresca 2

N' O Carmo e a Trindade
Eça agarra-me, se não, caio!

(clique na imagem para aumentar)

Inauguração do Monumento a Eça de Queirós

A gente do Eça

No primeiro dia da semana, os amigos d'Eça de Queiroz foram inaugurar o monumento, n'uma romagem de saudade e de justiça, pela tarde parda, levemente abafada de novembro.

(...)

sábado, março 07, 2009

Vilavinhos & Sarzuela: Um conto de faca e alguidar!

Manuel Vilarinho acusado de agressões a mulher brasileira

O ex-presidente do Benfica é suspeito de ter esmurrado Juliana Boncristiano num aparthotel em Sagres. O Ministério Público de Lagos acusa-o de um crime punível com três anos de prisão.

A Pinho o que é de Pinho: ...

... a conta.

Pinho viaja de Falcon ... mas não paga a conta

Ministro foi de Falcon à Alemanha, mandou a factura para a API e Basílio recusou pagar. A Força Aérea ficou a arder

sexta-feira, março 06, 2009

Julgavam que já tinha fedido tudo?!! ...

... Ainda a procissão vai a sair da igreja.

Pagamentos ilegais em relação à central de compostagem da Cova da Beira

O Ministério do Ambiente justifica os pagamentos ilegais em relação à central de compostagem da Cova da Beira como uma «excepção» para evitar o colapso do projecto de tratamento de lixo, avança a TVI.

Os cheques do fundo de coesão foram passados aos empreiteiros quando deviam ser emitidos à Associação de Municípios de Cova da Beira.

(clique para ver o vídeo)
Excepção my ass!! Corrupção, da forte e da feia.
Feios, sujos, porcos e maus.

Asco & Rojões

Quem saí aos seus não ... é de Genebra!
Como semi dizia o ditado popular.


Quem não se lembra do troglodita mor do PS de Aveiro Carlos Candal?


E do precioso tratamento que dava a tudo que mexia em tom diferente ao seu?
Uma preciosidade este tiranosauro aveirense ...

Já o seu digníssimo filho, Rudolfo Valentino, perdão Afonso Candal vai pelo mesmo caminho.

Afonso Candal aproveitou para torrar a paciência a Eduardo Martins.
A propósito de painéis solares Candal Jr. (mas já a preparar-se para bater aos pontos Candal Sn.), fritou a moleirinha a Eduardo Martins que, como homem, afirmou em pleno hemiciclo: vamos lá para fora resolver a conversa.

Oh Eduardo Martins, é de Homem.
Só as que caírem ao chão é que se perdem.

Entretanto, e a propósito dos tais painéis solares, e das insinuações asquerosas de Candal júnior, aqui fica um cheirinho da galhofa e farrabadó que vai grasando no PS, sem que a população, qual rebanho de borregos, vai permitindo sem passar pelo fio do metal estes calhordas.

Empresa com apoio de Sócrates promove Coelho

Em causa está a aquisição de painéis solares a metade do preço
Uma semana depois de José Sócrates ter anunciado, no Parlamento, o protocolo de compra de painéis solares a 50 por cento do preço, Jorge Coelho foi nomeado administrador não-executivo de uma das empresas que vai beneficiar desse apoio, avança a TVI.

A empresa foi uma das duas escolhidas num universo de quatro mil empresas.


(clique para ver o vídeo)

E assim vão as criancinhas

quinta-feira, março 05, 2009

Eh pá!! ... Grande tacho ...

... eu também quero.

Eurodeputados portugueses passam a ganhar o dobro
A partir das próximas eleições europeias, que em Portugal se realizam a 7 de Junho, os eurodeputados vão passar a ganhar um vencimento único. No caso dos portugueses, o aumento vai para o dobro do que ganhavam até aqui. De 3815 euros passam para os 7665 brutos. Isto sem esquecer outros subsídios


Brinca enquanto souberes!
Tudo o que é bom e belo
Se desaprende…
A vida compra e vende
A perdição,
Alheado e feliz,
Brinca no mundo da imaginação,
Que nenhum outro mundo contradiz!

Brinca instintivamente
Como um bicho!
Fura os olhos do tempo,
E à volta do seu pasmo alvar
De cabra-cega tonta,
A saltar e a correr,
Desafronta
O adulto que hás-de ser!


- Miguel Torga